SEM PEDÁGIO

Por falta de serviço prestado, prefeito de Rosário Oeste pede fim da cobrança de pedágio na BR-163

Jornalista Jonas Jozino | 07/04/2017 11:26:05

Com as obras paralisadas, trechos esburacados, falta de manutenção adequada, projeto de duplicação que ainda não saiu do papel, e a cobrança de um pedágio que não proporciona melhorias aos motoristas, fez com que o prefeito João Balbino (PR) de Rosário Oeste, cidade localizada a cerca de 100km da capital, convocasse a população para participar da audiência pública.

 

Após três anos do processo de privatização, os cerca de 800km da BR-163, indo desde a divisa de Mato Grosso do Sul até a cidade de Sinop, que ficaram na responsabilidade da empresa Rota do Oeste, ainda é pauta de audiência pública, que foi realizada na tarde da última quinta-feira, 06 de março, na Assembleia Legislativa, para discutir a falta da duplicação, lentidão nas obras e o trajeto da BR.

 

Com as obras paralisadas, trechos esburacados, falta de manutenção adequada, projeto de duplicação que ainda não saiu do papel, e a cobrança de um pedágio que não proporciona melhorias aos motoristas, fez com que o prefeito João Balbino (PR) de Rosário Oeste, cidade localizada a cerca de 100km da capital, convocasse a população para participar da audiência pública.

 

“Nós que utilizamos esta via praticamente todos os dias, não podemos ficar calados, uma das primeiras coisas que a empresa Rota do Oeste fez, foi a praça de pedágio, as cobranças estão sendo realizadas a todo instante, porém as melhorias estão apenas nas boas intenções apresentadas por parte dos representantes da empresa”, explicou o prefeito.

 

Para o prefeito João Balbino, o que não pode acontecer é pagar por melhorias que não estão sendo proporcionadas para população, “já que não tem condições de oferecer o que foi apresentado no processo de concessão do trecho, então que pare de cobrar o pedágio dos motoristas”, ressaltou Balbino.

 

Como as reclamações são constantes e chegaram até o deputado estadual Jajah Neves (PSDB), o parlamentar decidiu convocar audiência pública para cobrar atitude dos responsáveis, o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) também participou do evento, para representar a empresa Rota do Oeste enviou Fábio Abritta.

 

Ao ser cobrado sobre as melhorias, Fábio disse que devido a falta de recursos que não foram liberados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ao todo são R$ 2,6 mi (Dois Bilhões e 600 milhões), a empresa não teve condições de dar continuidade nas obras que estão programadas nos projetos.

 

“O governo juntamente com a empresa estão resolvendo essa questão de financiamento, e esperamos que seja resolvido o

quanto antes para que as obras sejam retomadas”, explicou Abritta.

 

Várias pessoas participaram do evento representando seus municípios, como o vereador Wagner Godoy (SD) de Lucas do Rios Verde, que falou das péssimas condições da via, principalmente da manutenção do trecho, que está sendo realizado com péssima qualidade.

 

Jangada.

 

O município atravessa um dos principais dilemas, com a proposta da mudança do trecho da BR-163, tirando a rodovia do centro da cidade.

 

Segundo informações do representante da Rota do Oeste, Fábio Abritta, desde o período do processo de privatização da BR-163 que consta no projeto a alteração deste trecho que corta do município de Jangada.

 

De acordo com o vereador e presidente da Câmara Municipal de Jangada, Rogério Meira (PDT), a retirada da via do centro da cidade só vai prejudicar o município.

 

“A maioria dos nossos comerciantes estão instalados ao redor da rodovia, os nossos principais clientes são as pessoas que passam por essa estrada, o nosso município não tem grandes industrias, a proposta desse desvio do trecho, representa o fim de 400 empregos direto, sem falar na questão cultural, todos em Mato Grosso sabem que o melhor pastel do estado é feito aqui, em nossos estabelecimentos, nós temos que chegar em um acordo com os responsáveis, do contrário, vão acabar com a Jangada”, explicou o vereador.

 

Tanto o prefeito Ederzio de Jesus (PSDB), o popular Garrincha, quantos os representantes dos comerciantes do município, também participaram da audiência pública e mostraram as suas indignações com a possiblidades de mudança da rodovia, alegando que isso iria inviabilizar economicamente o município.

 

Participaram também da audiência pública, os deputados Jajah Neves, Guilherme Maluf, o prefeito de Jangada, Ederzio de Jesus Mendes (o Garrincha), o prefeito de Rosário Oeste, João Balbino, o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Orlando Fanaia, o superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Daniel Latorraca e o secretário de Estado de Infraestrutura e Logistica, Marcelo Duarte.