OBRAS EM MT

Ministro garante que recursos para obras na BR-242 estão 'protegidos contra cortes'

Jornalista Jonas Jozino | 09/08/2017 08:40:20

Os serviços serão executados no trecho entre Nova Ubiratã e Querência, e a afirmativa do ministro se deu durante encontro promovido por Wellington após audiência pública que convocou Quintella à Comissão de Infraestrutura da Casa.

Em continuidade à ampla agenda de eventos ocorrida na segunda-feira, 7, em Cuiabá, com a realização do seminário 'O Futuro da Logística em Mato Grosso', o ministro dos Transportes Maurício Quintella esteve nesta terça-feira (8) no Senado Federal, onde garantiu, ao senador Wellington Fagundes e a membros da Comissão Pró-BR 242, que os recursos destinados à construção de oito pontes nesta rodovia não serão contingenciados, ou seja, não sofrerão cortes "de forma alguma".

Os serviços serão executados no trecho entre Nova Ubiratã e Querência, e a afirmativa do ministro se deu durante encontro promovido por Wellington após audiência pública que convocou Quintella à Comissão de Infraestrutura da Casa. Na presença do presidente da Comissão Pró-BR 242, Odir José Nicolodi (Caçula), o ministro pediu ainda que a bancada continue "fazendo o ótimo trabalho de destinar recursos importantes para ampliar os investimentos em logística".

"A obra vai ser tocada. Eu aqui não tenho cronograma específico para ela, mas tenho um orçamento definido. Nem um real vai ser tirado da obra, nós a protegemos contra o contingenciamento", assegurou Quintella.

No início da semana, Wellington Fagundes havia cobrado dos órgãos ambientais maior celeridade na liberação de licenças, o que, segundo ele, evitará "morosidade e burocracia, que são as piores inimigas da infraestrutura". O parlamentar explicou que agora que já existe a assinatura da ordem de serviço para as oito pontes, o restante da obra nas pistas dependerá exclusivamente da licença ambiental. "E lá em Cuiabá foi lançada exatamente a licitação dos componentes indígenas da região, ou seja, todo o estudo do parque nacional do Xingu", comemorou o senador.

Quintella afirma que o Ministério também pode ajudar na questão ambiental, fazendo gestão junto ao IBAMA. "Inclusive há uma nova lei ambiental que esperamos seja aprovada rapidamente, e ajudará nesse processo", estimou o ministro.

Wellington, durante sua fala na Comissão, ainda contrapôs notícias que afirmavam haver interesses específicos na liberação das obras. "As obras beneficiarão mais de quatro milhões de hectares, promovendo o desenvolvimento de toda uma região", destacou o republicano.

IBAMA
A comitiva liderada por Wellington esteve também no IBAMA no final da tarde de terça-feira e propôs à direção do órgão a possibilidade de ser feito um desmembramento do licenciamento ambiental, visando agilizar o processo de construção e pavimentação da BR 242.

O diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Valter Casimiro, afirmou que o órgão se mostrou proativo em analisar o pleito. "Existe um trecho que sabemos que vai precisar fazer estudo da componente indígena, mas tem outro que não precisaria, se essa licença for desmembrada. Vamos encaminhar o mais rápido possível essa demanda e adiantar o processo de licenciamento, começando a obra o mais rápido possível", assegurou Casimiro.