COISAS ABSURDAS

Mendigo é humilhado, agredido e colocado para fora de supermercado aos tapas e empurrões, em Cuiabá

Trindade/Redação 24 Horas News | 13/01/2018 10:04:19

O homem sujo e maltrapilho só sabia dizer durante as agressões: Eu estou com fome

Foto: Ilustração

COISAS ABSURDAS – Passavam das sete horas da manhã deste sábado, 13, quando um mendigo foi agredido dentro de um supermercado localizado na Avenida Runs de Mendonça (Avenida do CPA) em Cuiabá. Tudo porque o maltrapilho homem pegou uma bandejinha de pão doce e estava comendo dentro do mercado. Uma funcionária que não vestia roupa de segurança, já chegou empurrando o mendigo e o ofendendo.

Logo vieram tapas na nuca e mais empurrões na tentativa de colocá-lo para fora do mercado. “Você não sabe que é proibido comer aqui dentro do mercado seu vagabundo. Sai logo daqui que você está me irritando”, gritava a funcionária. E tome tapas e empurrões.

Acuado, o mendigo só sabia dizer: “Eu estou com fome”. Mas não teve jeito, o pobre homem que não tinha dinheiro para pagar a bandejinha de pão doce que custa apenas R$ 3,00, foi colocado para fora do mercado com muita violência pela funcionária, que  parecia ser a dona da verdade e do mundo.

É PROIBIDO – Tudo aconteceu na frente da reportagem do Portal de Notícias 24 Horas News. É proibido comer dentro do mercado? É sim. Só que, com os clientes que estão em compras não é, e nenhum funcionário, mesmo que veja um cliente, ou um filho de um cliente comendo e bebendo alguma coisa nada faz para evitar, muito menos faz o que funcionária fez com o mendigo.  

Sabem por que? Porque também é proibido proibir que alguém coma ou beba alguma coisa dentro do estabelecimento, pois só fica caracterizado furto, quando o cliente passa pelo caixa e não paga o que comeu ou bebeu dentro do mercado.

 E se o mendigo tivesse R$ 3,00 no bolso e fosse pagar o pãozinho que comeu no momento de sua saída? Não, mas a funcionária não fez com o mendigo o que faz com os outros clientes.

O CORRETO - O correto era a funcionária chegar, conversar com a pessoa que estava comendo dentro do mercado para saber se ela tinha ou não tinha dinheiro para pagar, o que não aconteceu, pois ela (a funcionária) foi logo agredindo e ofendendo o homem, tudo porque ele estava com roupas sujas e esfarrapadas.

 O mais correto ainda seria a funcionária chegar junto com uma assistente social para resolver o problema: a fome de um homem, que muitas vezes está ha muitos dias sem colocar um alimento na boca. Mas o mercado não tem um programa social, se tivesse as cenas de violência contra um homem com fome não teriam acontecido na frente de muita gente.

O correto, em invés das agressões e ofensas, seria o mercado oferecer algum tipo de ajuda a quem realmente precisa. E naquele momento o mendigo precisava  apenas de um pouco de comida. E comida é o que não falta aquele mercado, que joga muita comida fora todos os dias.

REVOLTA – Uma senhora que estava comprando salgadinhos, mas que não quis se identificar, não escondeu sua revolta. “Isso é uma coisa absurda. Isso é revoltante. O homem estava falando que estava com fome, mesmo assim foi agredido. Eu fui atrás para pagar o pãozinho que o mendigo comeu, mas não deu tempo, ele foi expulso na marra pela funcionária rapidamente. Isso é triste, muito triste”, desabafou.

Um senhor que também não quis se identificar foi mais além: “Pensei que a funcionária fosse sacar uma arma e dá um tiro no homem pelo simples fato de ele estar comendo um pãozinho dentro do mercado. Uma coisa absurda que eu acabei de ver. O correto seria ela ajudar o mendigo a comer alguma coisa, e não espancar e humilhar um homem que está com fome”.

SEM CONTATO - A reportagem tentou contato com um diretor do mercado, mas não conseguiu. Por isso o nome do supermercado não foi divulgado.  

  

   


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News