Lava Jato: juíza substituta de Moro diz que teve celular invadido

Juliana Barbosa | 12/06/2019 18:35:24

Gabriela Hardt afirma que o aplicativo de mensagens Telegram do seu telefone foi acessado indevidamente, em situação idêntica à do ministro

A juíza substituta da Operação Lava Jato Gabriela Hardt, da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, disse nesta quarta-feira (12/06/2019) que também teve o seu celular invadido. Por meio de nota, a Justiça Federal informou que ela teve o aplicativo de mensagens Telegram acessado indevidamente. O aplicativo é o mesmo que foi invadido no celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, no último domingo (09/06/2019).

Segundo o comunicado, o celular teria sido invadido “na mesma época e aparentemente pela mesma pessoa/grupo que invadiu os aparelhos dos procuradores” da força-tarefa da Lava Jato.

“O fato foi imediatamente comunicado à Polícia Federal”, afirmou a Justiça Federal de Curitiba.

Mais sobre o assuntoBrasilGlobo diz que Greenwald a procurou para divulgar conversas de MoroA emissora teria negado a oferta, afirmando que só publicaria se soubesse do que se tratava. Editor do The Intercept não aceitou a condição

Jornalista: Juliana Barbosa