LEILOADA

Fazenda da Boi Gordo em MT é vendida por R$ 43 milhões em leilão

Mais de 30 mil pessoas foram vítimas de pirâmide financeira da empresa.

Walace Lara | 10/11/2017 13:57:37
Dilvulgação/Sistema Brasileiro do Agronegócio/ MPE/Promotoria de Justiça de Falências

Amaior fazenda que pertenceu a empresa Boi Gordo foi vendida em um leilão realizado nesta quinta-feira (9) em São Paulo por R$ 43.392.584,17. O comprador - um grande pecuarista- pediu pra não ter o nome divulgado. A fazenda, que fica no município de Comodoro, a 677 km de Cuiabá em Mato Grosso, era avaliada inicialmente em R$ 62 milhões e o valor do arremate teve um deságio de 30%.

Chamada de "Jóia da Coroa" a “Fazenda 8” possui 8.592,9718 hectares, dos quais 42% foram abertos e cultivados com soja e milho safrinha nos últimos anos. Esta área conta com barracão, armazém, galpão para máquinas, secadores e silo, sede, casa para funcionários, escritório e pista de pouso.

"A falência da Boi Gordo é maior fraude já praticada no mercado mobiliário, num esquema de pirâmide financeira conhecido como esquema Ponzzi, onde os primeiros participantes que entrem ganham alguma coisa e os últimos, que compõem a base da pirâmide perdem tudo", disse o Promotor de Justiça que atua no caso, Eronides Santos, da Promotoria de Justiça de Falência do Ministério Público de São Paulo.

"Foram mais de 30 mil lesados nesse esquema, isso revela o quanto é arriscado investir em negócios milagrosos e que prometem rendimentos incompatíveis com o praticado pelo mercado financeiro. Famílias que perderam suas economias e que estão à espera dessas vendas para recuperar parte desse dinheiro", afirmou.

O promotor disse ainda que o valor da dívida é de R$ 4,2 bilhões e que o total arrecadado até agora é de R$ 470 milhões. "Já pagamos integralmente os credores trabalhistas - cerca de R$ 75 milhões, mais fazenda pública".

Em princípio esse leilão era pra ser para 13 fazendas, mas 12 foram retiradas porque têm problemas com invasões.

O caso 'Boi Gordo'

Criada em 1988, a empresa Fazendas Reunidas Boi Gordo iniciou em 1996 processo de abertura de investimentos em animais. Era um sonho para investidores que receberiam, após 18 meses, o lucro da venda do boi engordado com promessas de 42% de rendimento via certificados de investimentos.

Cerca de 32 mil pessoas que investiram neste modelo identificado como “pirâmide financeira”, que pagava contratos vencidos com recursos de novos investidores. Em 2001, a empresa pediu concordata, uma vez que o dinheiro investido passou a ser direcionado para outros negócios do empresário Paulo Roberto de Andrade, fundador da empresa. Com uma despesa a pagar maior que a receita, a Boi Gordo faliu em 2004. O processo de falência tramita na 1ª Vara Cível do Foro Central da Comarca de São Paulo.

Fonte: G1

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News