CONFRONTO À BALA

DHPP registra o primeiro caso de homicídio em Cuiabá no quinto dia de 2018

Trindade/Redação 24 Horas News | 05/01/2018 12:49:03

O homicídio aconteceu uma troca de tiros entre PMs e dois bandidos

Foto: Ilustração

 

GUERRA URBANA - Pelo “andar da carruagem” 2018 pode ser ainda menos violento do que o ano que acabou em se tratando de crimes contra a vida: homicídios e latrocínios: roubos seguidos de morte. De primeiro de janeiro, até às 12h30 desta sexta-feira, 5, apenas uma pessoas foi assassinada em Cuiabá. Em Várzea Grande (Grande Cuiabá), ainda não há registro de homicídio este ano.

PRIMEIRA VÍTIMA – O jovem Juscelino Oreliano Murto de Jesus, de 24 anos, foi o primeiro caso de homicídio registrado este ano por policiais da  Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) em Cuiabá.

TIROTEIO - Jesus, segundo a versão oficial da Polícia Militar (PM), foi morto durante uma troca de tiros por volta das 21h40 da noite desta quinta-feira, 4, na Rua  F do Jardim Passaredo, região do Coxipó, em Cuiabá.

Jesus, segundo ainda os policiais militares que atenderam a ocorrência, tentando escapar da abordagem, Juscelino Oreliano Murto de Jesus, 24, e Lucas Martins, 23, subiram na calçada de moto e acabando caindo do veículo.

 Jesus, segundo ainda a PM,  Juscelino começou a correr a pé, tirou a camiseta e levou a mão à cintura, fazendo gesto como se fosse sacar a arma. Nessa hora, militares afirmam que fizeram disparos com bala de borracha para contê-lo, mas ele continuou correndo.

Mais adiante, Juscelino sacou de fato a arma e disparou contra os policiais, pelo menos duas ou três vezes. Os PMs contam que tiveram que revidar, gerando uma troca de tiros e a consequente morte de Jesus e a prisão de seu comparsa, Lucas, autuado em flagrante em crime de roubo na Central de Flagrantes.

CORPO NO IML - O corpo de Jesus foi removido do local do crime para o Instituto Médico Legal (IML) após szer liberado por policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsáveis pelas investigações do crime.

 


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News