Brasileiro é condenado a prisão perpétua no Reino Unido por matar ex

Estevan Furtado | 19/07/2019 12:20:14

Ricardo Godinho matou brutalmente sua ex-esposa em Ewill, Reino Unido

Reprodução

A cidade de Ewill, que fica há cerca de 30km no sudoeste de Londres, foi local de um brutal assassinato. Ricardo Godinho, brasileiro de 41 anos, esfaqueou sua ex-esposa, Aliny Mendes, também brasileira, a luz do dia, na frente da filha de 3 anos. Em uma sentença proferida nessa quinta-feira (18/07/2019), Ricardo foi condenado a prisão perpétua e só poderá recorrer depois de cumprir no mínimo 27 anos.

Segundo reportagem da BBC, o casal estava separado desde dezembro de 2018 e tinha outros três filhos. No dia do crime, o brasileiro seguiu o ônibus da sua ex-companheira, que estava indo até o colégio buscar um dos filhos. Ao descer do ônibus, partiu para cima de Aliny no meio da rua e cometeu o assassinato.

A acusação de Godinho ocorreu oficialmente no dia 10 de fevereiro, após ser preso. A polícia recebeu a ligação de um de seus colegas dizendo que ele teria confessado o crime. Além disso, testemunhas também chegaram a identificá-lo.

Ricardo Godinho, condenado a prisão perpétua Reprodução / Polícia de Surrey

Aliny Mendes, ex-esposa de RicardoReprodução / Polícia de Surrey

Ricardo Godinho, brasileiro de 41 anosReprodução / Polícia de Surrey

Comunicado da família de Aliny MendesReprodução / Polícia de Surrey

Por meio de um comunicado, a família desabafou sobre o caso. “O ocorrido em 8 de fevereiro tiraram não apenas uma irmã, uma filha, uma neta e uma amiga, mas, o mais importante: tiraram uma mãe carinhosa de seus quatro filhos pequenos.”

Confira comunicado na íntegra:

“Aliny era uma mulher linda, inteligente, feliz e carinhosa. Era amada por muitas pessoas, tanto no Reino Unido quanto no Brasil, seu país de origem. O ocorrido no dia 8 de fevereiro tirou não apenas uma irmã, uma filha, uma neta e uma amiga. Mas algo mais importante: uma mãe carinhosa de seus quatro filhos pequenos. O impacto que a morte de Aliny deixou em seus filhos é quase impossível de colocar em palavras. Somos gratos por todos os esforços do sistema de justiça criminal, mas nenhuma sentença irá substituir ou trazer de volta nossa bela Aliny. Quando as crianças ficarem doentes, a mãe não estará lá para acalmá-las. Quando elas tiverem bons resultados na escola, a mãe não estará presente para elogiá-las. Quando elas fizerem a apresentação de uma peça escolar, a mãe não estará presente para aplaudi-las. Nem em aniversários, formaturas, dias de casamento e outros eventos importantes. Sua mãe não poderá compartilhar a celebração e a alegria da ocasião”.

Jornalista: Estevan Furtado