DESENVOLVIMENTO

Aplicativo desenvolvido por estudantes do IFMT Campus Cáceres auxilia agricultores no cálculo da produção de hortaliças

Redação 24 Horas News | 21/03/2019 08:16:21

De acordo com o professor Eliel, a ideia do aplicativo surgiu a partir do diálogo com agricultores familiares da região que produzem e comercializam hortaliças sobre a necessidade do controle completo dos custos de produção.

Com o objetivo de auxiliar pequenos produtores no planejamento e organização financeira da produção de hortaliças, estudantes do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio do Instituto Federal de Mato Grosso - IFMT, em Cáceres, desenvolveram um aplicativo para celular e outros dispositivos móveis que realiza o cálculo do custo da produção e indica o valor unitário da hortaliça com base em estimativas de percentuais de lucro. O aplicativo desenvolvido pelos estudantes Beatriz Almeida de Oliveira, Guilherme Cavalari Ladeia, João Brasílio Dalosto de Carvalho e Vitória Eduarda Souza Silva, sob a coordenação do professor Eliel Regis Lima, está sendo apresentado essa semana, em São Paulo, como um dos projetos finalistas da 17ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, Febrace, realizada na Universidade de São Paulo (USP).

De acordo com o professor Eliel, a ideia do aplicativo surgiu a partir do diálogo com agricultores familiares da região que produzem e comercializam hortaliças sobre a necessidade do controle completo dos custos de produção. "Eu tinha conversado com o pessoal da Feira que acontece na Unemat (Feira de Economia Solidária e Agroecológica - FEISOL) sobre essa necessidade de cálculo de custo. Eles fazem manualmente e às vezes não têm noção do que pode colocar para compor o custo, então eu fiz a proposta para os alunos de fazer o aplicativo pensando na necessidade da nossa região que tem bastante produtor de hortaliças", explica o coordenador.

Em um processo formativo e de estímulo à inovação tecnológica, o trabalho de iniciação científica que conta desde 2018 com a co-orientação do professor Jefferson Paizano Neves, já está em seu terceiro ano de duração, envolvendo os estudantes desde o primeiro ano do ensino médio. Entre as etapas do projeto, foram realizadas pesquisas bibliográficas e levantamento com os professores da área de Agropecuária do Campus Cáceres – Prof. Olegário Baldo sobre produção de horticultura, bem como entrevistas com produtores locais para identificar componentes que interferem no custo da produção e levantamento das hortaliças mais comercializadas na região. A partir dos conhecimentos técnicos adquiridos na área de Informática, o aplicativo foi desenvolvido gradativamente em versão mais simples para notebook e depois para celular e outros dispositivos móveis como tablets.

Segundo os estudantes, o aplicativo tem interface simples. Para o uso, a pessoa interessada deve realizar um cadastro com nome, e-mail e senha, em seguida inserir no sistema informações sobre área de cada canteiro e a hortaliça que irá produzir. No decorrer da produção devem-se inserir os dados de todos os gastos obtidos, podendo inclusive considerar o valor do terreno e o percentual de representação de uso daquele canteiro. Há também espaço para informação sobre a colheita com a quantidade da hortaliça produzida e o percentual de lucro projetado. Como resultado o sistema apresenta o custo da produção e o preço para comercialização da hortaliça, com base na realidade apresentada.

Com acesso gratuito, o aplicativo poderá ser baixado por meio de link a ser disponibilizado no site da instituição: www.cas.ifmt.edu.br

Projeção Nacional

Intitulado "Aplicativo móvel para cálculo do custo de produção de hortaliças", o projeto foi selecionado para a Febrace ao conquistar o primeiro lugar da categoria Desenvolvimento Tecnológico na Mostra de Iniciação Científica no Pantanal, realizada pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) no ano passado, e integra os melhores trabalhos selecionados em 116 feiras científicas afiliadas de todos os estados do país.

Entre os 300 trabalhos apresentados na Febrace 2019, o projeto do IFMT é um dos 52 selecionados da área de Ciências Exatas, sendo os demais classificados entre as categorias de Engenharia, Saúde, Agrárias, Sociais Aplicadas, Humanas e Biológicas.

Além de concorrerem à premiação da Febrace a partir de análise do comitê de avaliação formado por professores universitários, doutores, estudantes de pós-graduação e especialistas, os projetos concorrem ao Prêmio Votação Popular na Mostra Febrace Virtual.