ACORDO NÃO CUMPRIDO?

Sinop não vai a jogo e presidente do clube culpa W.O. a adversário por não cumprir acordo

Jornalista Jonas Jozino | 08/10/2019 10:27:20

Terra disse que havia comunicado a situação de seu clube que só tinha nove jogadores relacionados como em condições de atuar no Boletim Informativo Diário da Confederação Brasileira de Futebol, o que não teria como jogar. Segundo ele, outros 14 jogadores não haviam ainda entrado na listagem.

O Sinop não esteve na vizinha cidade de Sorriso para as partidas dos Campeonatos Mato-grossenses Sub-15 e Sub-17 que deveriam ter sido realizadas no domingo. O presidente do clube, Agnaldo Turra, informou nesta  terça-feira que havia um acordo de cavalheiros entre as duas diretorias para a não realização das partidas. Acontece que as arbitragens, bem como as equipes do Sorriso foram a campo, o que caracterizou derrota por W.O. para o time sinopense.

 Terra disse que havia comunicado a situação de seu clube que só tinha nove jogadores relacionados como em condições de atuar no Boletim Informativo Diário da Confederação Brasileira de Futebol, o que não teria como jogar. Segundo ele, outros 14 jogadores não haviam ainda entrado na listagem. Ele alega que após comunicar a FMF, solicitando as transferências dos jogos para quarta-feira, recebeu a informação de que teria de conversar com a diretoria do Sorriso, o que segundo ele, foi feito e acertado.

 “O Zambiasi concordou, acontece que tem lá um treinador que acha que manda mais que ele. O cara resolveu vir e veio. Eles não estão errados uma vez que tinha marcado o jogo, mas por ser uma competição amadora, para dar oportunidade para novos talentos, poderia haver entendimento”, lamentou o presidente.

 O dirigente reclamou ainda que vem trabalhando sério para colocar a situação financeira do clube em dia . Segundo ele, o ex-presidente Dilceu Dal´Bosco deixou uma dívida de R$ 1 milhão, que está sendo pagar em parcelas e, com isso, não está podendo contratar jogadores de categoria.

 “Recebemos o Sinop com uma dívida de R$ 1 milhão. Já saldamos R$ 500 mil deste montante e estamos trabalhando para quitar o quanto antes esta dívida”, disse.