YouTube processa usuário por extorsão de criadores de conteúdo

CLARICE ROSA E SILVA | 24/08/2019 12:53:49

De acordo com a ação judicial, o réu tentou, repetidamente, assediar e extorquir dinheiro de youtubers

Reprodução

O YouTube está processando um usuário da plataforma por tomar vantagem das normas DMCA (Digital Millenium Copyright Act, ou Ação dos Direitos Autorais do Milênio Digital, em português) para extorquir criadores de conteúdo da plataforma.

De acordo com a ação judicial, Christopher L. Brady “tem repetidamente tentado assediar e extorquir dinheiro de criadores de conteúdo do YouTube através de alegações falsas de infringimento dos direitos autorais”. Com a ação judicial, a plataforma busca responsabilizá-lo pela má conduta e pelos danos causados ao YouTube.

As diretrizes de direitos autorais do YouTube são criticadas há algum tempo pela facilidade que maus agentes têm de tomar vantagens delas. Antes das mudanças feitas pela plataforma no dia 15 de agosto de 2019, qualquer pessoa poderia alegar que o conteúdo de um vídeo no YouTube foi plagiado.

Cada reclamação resulta em um “strike”, e após três “strikes” em vídeos de um criador, seu canal é tirado do ar. Os criadores que recebem essas reclamações podem apelá-las, mas quem faz a revisão do conteúdo e da apelação não era o YouTube, e sim o autor da reclamação. Esse processo abria espaço para pessoas como Brady tomarem vantagem e usarem esse poder como chantagem sobre os criadores de conteúdo.

De acordo com o texto da ação judicial, Brady enviou múltiplas reclamações alegando que alguns youtubers – Kenzo e ObbyRaidz – usaram seu conteúdo protegido pelos direitos autorais em janeiro. Como é de praxe, o YouTube removeu os vídeos em questão. Logo depois, ObbyRaidz recebeu uma mensagem de Brady. Nela, o réu afirmou que se o youtuber não enviasse US$ 150 (ou US$ 75 em bitcoin) para seu PayPal, ele enviaria uma terceira reclamação, o que tiraria o canal dele do ar.

Kenzo também recebeu uma mensagem parecida. Brady pedia US$ 300. Como ambos são criadores menos populares, eles não tiveram sucesso ao tentar entrar em contato com algum representante do YouTube. Foi somente quando ObbyRaidz e Kenzo fizeram vídeos em seus canais falando da alegada extorsão em seus canais que a equipe da plataforma tomou conhecimento da situação.

A companhia alega que Brady continuou enviando reclamações para outros canais da comunidade de games no YouTube, disparando quatro reclamações à plataforma de vídeos entre 29 de junho e 3 de julho, alegando que o youtuber Cxlvxn também infringiu direitos autorais.

De acordo com um representante da plataforma em entrevista ao The Verge, “(O YouTube) regularmente desliga contas (de usuários) que fazem uso indevido do sistema de direitos autorais”. No entanto, como o caso de Brady inclui a extorsão de diversos criadores de conteúdo, “nós nos sentimos compelidos a buscar uma ação judicial e tornar claro que não toleramos o abuso de nossa plataforma ou usuários”.

O YouTube também alega que Brady usava “pelo menos 15 identidades online diferentes, todas as quais o YouTube rastreou de volta para ele”. Além disso, o site aponta que a investigação fez com que a plataforma “gastasse somas substanciais em sua investigação no esforço de detectar e impedir esse comportamento, e para assegurar que seus usuários não sofram consequências adversas por conta dele”

Jornalista:  CLARICE ROSA E SILVA

Fonte: Metrópoles