Segurança: Instituto faz testes de coletes com airbags para motociclistas

Os usuários de motos representam 37% das mortes e 56% dos feridos em acidentes no Brasil, diz levantamento do Observatório de Segurança Viária

| 20/08/2017 19:35:06
Para ajudar na segurança dos motociclistas, está em teste uma jaqueta que conta como uma bolsa inflável de proteção
Divulgação
Para ajudar na segurança dos motociclistas, está em teste uma jaqueta que conta como uma bolsa inflável de proteção

Segundo o estudo Retrato da Segurança Viária no Brasil, divulgado em 2014 pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, motociclistas representam 37% das mortes e 56% dos feridos em acidentes no Brasil. Com a necessidade de melhorar o cenário, profissionais do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) desenvolveram uma série de testes, a fim de atestar a qualidade e o desempenho de coletes e jaquetas com airbags para amortecer quedas e impactos.

LEIA: Desvalorização: Veja as motos que menos depreciam do Brasil

De acordo com Gabriele Paula de Oliveira, pesquisadora do laboratório, o IPT realiza testes de tração no cabo que prende a jaqueta ou colete à moto. A função é acionar o gatilho que insufla as bolsas de airbag quando a pessoa é ejetada da motocicleta. Por conta disso, o Instituto também avalia a qualidade e desempenho do tecido e a resistência à abrasão. Este último, segundo a pesquisadora, é para a testar o comportamento em contato com o asfalto.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ainda não estabeleceu a obrigatoriedade do uso de jaquetas e coletes com airbags, e, também por essa razão, o número de fabricantes é escasso. Para o IPT, um dos objetivos do projeto é criar parâmetros para que tanto empresas quanto órgãos regulatórios possam produzir ou exigir itens com qualidade e alto desempenho no mercado, a fim de garantir a segurança do usuário.

LEIA MAIS: Moto mais rápida do mundo, equipada com motor V8 de 500 cv, vai a leilão

O Instituto também estuda a instalação de câmeras nos coletes para atestar esclarecimento dos fatos, auxílio rápido em caso de acidentes e também para monitoramento e gestão. Para Alessandro Santiago, pesquisador da Seção de Automação do IPT, é possível implementar a nova tecnologia, mas seria necessário driblar o custo elevado. “Nessa parte do projeto, testamos alguns equipamentos, como câmeras e baterias. A ideia era que o colete tivesse uma autonomia de carga de oito a doze horas, e fosse recarregável”, diz o executivo.

Outros airbags  fora do comum

Coletes e jaquetas podem parecer lugares pouco usuais para encontrar airbags, mas o mundo já caminha para o momento em que as bolsas de ar também se farão presentes fora do habitáculo dos carros. Em 2013, a Volvo lançou o V40 no Brasil com uma bolsa do ar que se abre no capô para minimizar o choque com o carro.

Volvo V40
Divulgação
Volvo V40

E mais curioso ainda: em 2011 a loja Amazon registrou patente de um airbag para segurança de equipamentos eletrônicos, principalmente smartphones. A ideia é que o sistema fosse protegido por um sistema capaz de inflar pequenas bolsas ao detectar quedas. Até a Honda se aventurou na ideia, mostrando o conceito de uma capinha protetora capaz de acionar o dispositivo no Japão.

LEIA MAIS: BMW mostra como serão as motos do futuro. Saiba mais detalhes




Fonte: IG Carros

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News