De mala e cuia com a Kawasaki Versys-X 300 Tourer

| 05/01/2018 09:30:01

Para o fim de ano na estrada, o baú é o complemento ideal para as pequenas malas laterais da Kawasaki Versys-X

Kawasaki Versys-X 300 Tourer, com seus itens extra e um baú de lambuja
Gabriel Marazzi
Kawasaki Versys-X 300 Tourer, com seus itens extra e um baú de lambuja

Quem disse que para cair na estrada é preciso ter uma super estradeira? Lançada há cerce de três meses, a nova Kawasaki Versys-X 300 é uma multiuso no sentido da palavra, uma vez que atende a requisitos básicos para qualquer tipo de utilização, do dia a dia urbano a viagens de lazer.

LEIA MAIS: Harley-Davidson Slim passa por dieta para garantir pilotagem enxuta

Depois do primeiro contato com a nova Kawasaki na ocasião de seu lançamento, que ocorreu em setembro do ano passado na cidade litorânea de Paraty, RJ, nada melhor que rodar com a motocicleta na selva urbana paulistana, com direito a uma pequena esticada ao litoral paulista para conferir seus dotes estradeiros.

A versão mais equipada da Versys-X é a Tourer, que vem com duas pequenas malas laterais, um par de faróis auxiliares, protetores de manetes e de motor, freios ABS, cavalete central e tomada 12 volts no painel. Essa foi a versão escolhida para esse passeio.

LEIA MAIS: BMW R 1200 GS mostra que tradição nunca sai de moda

Em uma semana driblando o trânsito pesado da capital, as malas laterais de plástico não impediram a passagem da motocicleta por entre os carros, já que elas são estreitas e a moto é bastante ágil. Apenas por duas vezes elas deram ligeira esbarrada em algum veículo de carroceria mais larga nas laterais, coisa pouca. O ideal para uso urbano seria a versão de entrada, que vem sem as malas (pode ter freios ABS ou não), o que deixa o piloto um pouco mais tranquilo no trânsito. Para a estrada, no entanto, escolhi a Tourer.

Pena que as malas laterais, que usam a mesma chave da ignição para trancá-las, não tem um sistema rápido de “põe-e-tira”, o que poderia facilitar muito a vida urbana de quem optou pela versão completa. As malas são parafusadas e exigem um certo trabalho para serem retiradas.

De qualquer forma, as malas são muito úteis mesmo no uso diário, pois é possível levar transportar documentos, pequenos objetos e uma capa de chuva, com quase a mesma versatilidade de um scooter. Só não há como prender um capacete na moto, e para isso instalei um pequeno baú no bagageiro, meu velho baú italiano que me acompanha há mais de 20 anos. Agora, sim, a Versys-X ficou completa.

Na estrada, o bauzinho complementa o espaço para bagagem e os equipamentos da Tourer também fazem diferença, em especial o ponto de energia no painel, que permite manter seu celular carregado. Para quem usa esse dispositivo como indicador de rotas, fixado no painel, a tomada está na posição ideal.

Os faróis auxiliares não são de longo alcance, de forma que não iluminarão a estrada ao longe, mas são muito úteis para iluminar as laterais da via e para aumentar a visibilidade da motocicleta, um grande ponto a favor da segurança. Tanto na estrada quanto na cidade, os faróis auxiliares ajudam a motocicleta ser vista por outros motoristas.

Um ponto de destaque na Kawasaki Versys-X é o conforto, em relação à posição de pilotagem. Se por um lado a grande altura do banco sacrifica um pouco montá-la e desmontá-la, principalmente com as malas laterais e, mais ainda, com o baú instalado no bagageiro, uma vez montado a posição do piloto é ótima. A motocicleta é, também, muito estável em retas e em curvas.

Tocada esportiva

O mesmo câmbio utilizado nas esportivas Z300 e Ninja 300, no entanto, exige que na estrada o motor trabalhe em altas rotações mesmo em velocidade de cruzeiro, mais ainda do que as esportivas, pois a coroa da Versys-X tem 4 dentes a mais. Nesse caso, o melhor a fazer é pilotar a X como uma esportiva, o que pode ser bastante agradável devido ao competente bicilindro de alta rotação e 40 cv de potência.

LEIA MAIS: Honda Biz 2018 agora tem freios combinados

Na cidade, as relações curtas da X favorecem uma pilotagem tranquila, sempre com torque disponível para uma acelerada oportuna. A escolha da Kawasaki Versys-X 300 passa pela análise de suas concorrentes, todas monocilíndricas – Honda XRE 300, Yamaha XTZ 250 e a BMW G 310 GS que vem por aí. Em sua versão básica, a Versys-X custa R$ 22.990, nas cores laranja ou cinza. Com ABS, ela custa R$ 24.990 com a única opção da cor verde. Já a Tourer custa R$ 26.990 e pode ser verde ou cinza. Até o último dia de 2017, a Kawasaki estava oferecendo a família Versys-X com um bom desconto de lançamento, para as primeiras 200 unidades vendidas. Quem sabe não sobrou alguma com um boa condição de compra, neste início de 2018?



Fonte: IG Carros

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News