TERRA RICA

Conheça o bioma Cerrado, o berço das águas brasileiras

Redação 24 Horas News / | 19/01/2019 20:07:50

Mato Grosso é o único estado brasileiro com os três biomas: cerrado, pantanal e amazônica

O Bioma Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro em extensão, além de ter uma das maiores biodiversidades do mundo.Apesar de seu valor, o Cerrado, assim como a Caatinga, não foi contemplado na Constituição Federal como Patrimônio Nacional. Berço das Águas e habitat de muitas espécies da fauna e flora, sofre com o constante desmatamento.

O Cerrado se localiza nos seguintes Estados do Norte: Amapá, Rondônia e Tocantins. No Nordeste ele aparece no Maranhão, Bahia e Piauí. No Centro-Oeste está no Distrito Federal, além de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Já no Sudeste pode ser encontrado em Minas Gerais e São Paulo.

Ele está situado em três grandes bacias hidrográficas, a saber, Tocantins e Araguaia, São Francisco e Prata. Isso por si só já estimula a existência da sua biodiversidade. Ele está distribuído numa área imensa de 2 milhões de km² no território do Brasil.

No Bioma Cerrado predomina o Clima Tropical Sazonal, que é quente e com períodos chuvosos e de seca.

A vegetação pode ser caracterizada como de savana, isto é, com árvores baixas, espalhadas, troncos retorcidos e com raízes profundas.

Devido ao seu imenso tamanho e levando-se em conta o local, o Bioma Cerrado tem diversidade de ecossistema, que pode ser classificado em:

Cerradão Cerrado campestre Cerrado rupestre Cerrado típico Campo cerrado Campo limpo de cerrado Cerrado de matas Cerrado de várzeas Cerrado veredas.

É importante lembrar que no Cerrado ocorrem também arbustos variados e muitos tipos de gramíneas.

O Bioma Cerrado pode ser mencionado como uma das maiores savanas do mundo, quando o critério é a biodiversidade. Ele é constituído por riquíssimas fauna e flora.

Dentre os animais que habitam o Cerrado, podemos destacar ema, seriema, lagarto teiú, diversos tatus, lobo-guará, lontra e capivara. Também lá são encontrados papagaio, tucano, urubu, infinidades de beija-flores, felinos sortidos e aves de rapina.

Há uma estimativa de que mais de 10.000 espécies vegetais povoam o Cerrado. Daremos destaque ao baru, mangaba, jatobá, guariroba, sucupira e pau-terra. Mas não podemos esquecer também aroeira, angico, pequi, araçá, buriti e capim-flecha.

Avançado está o processo de desmatamento do Cerrado, que caminha a cada ano numa crescente sem controle. Sua causa principal é abrir espaço para o agronegócio, mas há também a fabricação de carvão e a mineração sem autorização.

 

Até há pouco tempo, o Cerrado era tido como um bioma sem muita importância, de solo fraco e pouca abundância de minerais. Tanto que a nossa Constituição Federal não o protegeu expressamente, como fez, por exemplo, com a Amazônia, que é Patrimônio Nacional.

Só mais recentemente é que se deu conta da importância desse bioma, da riqueza de sua biodiversidade e da abundância de sua água. Mas infelizmente apenas 20% de sua área original ainda sobra, o restante foi desmatado sem muita preocupação.

O Cerrado típico tem uma característica interessante, posto que, uma vez destruído não se regenera jamais. Diferente do que ocorre, por exemplo, com uma mata.

Outras grandes ameaças ao Bioma Cerrado é o crescimento das cidades e os incêndios criminosos.

A ocupação começou com os Bandeirantes

O processo de efetiva ocupação do Cerrado começou no século XVIII, quando chegaram os Bandeirantes paulistas. Eles descobriram ricas minas de ouro e construíram povoações, dando início ao povoamento da região.

Posteriormente, a construção de Brasília (1960) acelerou a posse da região, que se viu cortada por grandes rodovias. Destaque para as cidades de Goiânia, Cuiabá, Campo Grande, Anápolis e Aparecida de Goiânia, na Região Centro Oeste.

Você sabia?

Calcula-se que o Bioma Cerrado seja o berço das águas brasileiras, posto que ali estão as Bacias Platina, Amazônica e São Francisco.

Só no Distrito Federal já foram catalogados 90 espécies de cupins, 1000 espécies de borboletas e 500 variedades de abelhas e maribondos.