Como Sansa Stark se tornou a principal personagem feminina de "Game of Thrones"

Reinaldo Glioche | 18/04/2019 06:35:08

Azarona para figurar no trono de ferro ao fim da série, Sansa já ostenta uma das principais e mais cativantes curvas dramáticas do programa

Não é segredo para ninguém que as personagens femininas são as melhores, mais complexas e mais fascinantes de "Game of Thrones". De Cersei a Daenerys, passando por Brienne de Tarh,  Margaery e Lyanna Tyrell, a que mais reluz na atual e decisiva fase da série é mesmo Sansa Stark.

Vivida com esmero, graciosidade e tato por Sophie Turner, que evoluiu como atriz tendo Sansa Stark como fôrma, a personagem é apenas uma das que comeu o pão que o diabo (ou George R.R Martin) amassou no curso da série, mas é inegavelmente a que mais aprendeu com as dolorosas experiências em "Game of Thrones". 

Se lhe falta a perspicácia física de Arya (Maise Williams), a capacidade de se movimentar estratégicamente lhe é peculiar. A maneira como tirou da cartola a vitória na Batalha dos Bastardos e fez Mindinho crer que ela ainda era uma menina medrosa e influenciável para matá-lo ao fim do 7ºano ajudam a demonstrar que o estágio forçado com Cersei (Lena Headey) foi proveitoso. 

Perdida no fogo cruzado entre a mais leonina dos Lannister e a ambiciosa jovem rainha Tyrell, Sansa percebeu o quanto que poderia filtrar daquele universo corrompido para incrementar sua árdua luta pela sobrevivência. 

A série foi cruel com os Stark. Todos sofreram muito e alguns, inclusive, perderam suas vidas no decorrer da trama, mas é possível observar que apenas Sansa é capaz de jogar a guerra dos tronos nos termos que seus adversários jogam.

Essa virtude veio adornada de muito sofrimento. Das humilhações de Joffrey (Jack Gleeson) às violências de toda sorte patrocinadas por Ramsay Bolton (Iwan Rheon), a personagem não só adquiriu casca - e um instinto de sobrevivência invejável - como deixou para trás qualquer vestígio de inocência ou romantismo, que ainda acompanham de alguma forma os irmãos Jon (Kit Harington) e Arya.

Na oitava temporada Sansa será crucial para manter o Norte sob controle. Ela, inclusive, está muito bem posicionada para eventualmente reinar sobre os sete reinos, a depender do resultado da batalha contra os caminhantes brancos e da guerra contra Cersei. 

As similaridades com Cersei - vislumbradas tanto no pragmatismo com que encarou a morte do irmão Rickon, como no deleite da vingança que impôs a Ramsay - tornam este cenário improvável ainda mais interessante.

Seria apoteótico que a personagem feminina que mais evoluiu dramaticamente, e que menos expectativas suscita sobre o trono de ferro, terminasse "Game of Thrones" no centro do poder. Algo intrínseco ao sonho de criança de Sansa Stark, mas que seria conquistado de maneira radicalmente diferente.

Fonte: IG Gente