O poder construtivo


O nosso poder construtivo é formado por tudo aquilo que fazemos com prazer, pois em todas as atividades, é interessante saber que as atitudes apenas constituem em pequenos acessórios de uma vida vitoriosa. 


É muito bom sairmos por aí, falando das coisas boas que estão a acontecer em nossas vidas, pois elas serão fatores de incentivos àqueles que estão ao nosso lado, pois o mundo está carente de alegria e de pessoas otimistas. O importante é saber que cada dia tem a sua história, o que você é hoje, será sempre diferente do que você será amanhã, por isso não devemos ficar estagnados, deixando que apenas uma questão permaneça a nos machucar por muito tempo.


Os vencedores ao propagarem as suas vitórias estão colocando energia positiva no ar, e essas, trarão novas possibilidades para sequências de momentos vitoriosos, pois as invejas só nos atingem quando damos valor aos conselheiros derrotados ou quando fazemos das críticas destrutivas um espelho para guiar os nossos desejos futuros.


Com efeito, cada palavra que propagamos, não é apenas uma simples forma de expressão, pois tudo que dizemos, produz uma tendência motivadora em toda extensão onde ela é ouvida.

 Mas, essa particularidade tem a tendência de manifestar-se em nossa própria mente e em nossa alma, e essa nossa vontade manifestada que passa a fazer parte do nosso plano do desejo, e envolve a formação do nosso caráter, influenciando também em todas as nossas faculdades mentais, é bom saber, que todos esses fatores externos e internos, produzirão efeitos materiais positivos que nos ajudarão muito a chegar onde queremos, o importante é confiar em todas as possibilidades de mudanças e seguir construindo novos caminhos.
Quantas vezes ouvimos vozes a nos pedir, e muitas vezes deixamos de ajudar ao próximo por achar que ele precisa do muito, quando na verdade o ato humilhante de pedir,às vezes, depende de tão pouco.

O valor da solidariedade, não se mede pelo tamanho e nem pela quantidade do que se podemos oferecer, mas sim, pela satisfação de ajudar, que vem do sentimento cristão de amor ao próximo.

Economista Wilson Carlos Fuáh – É Especialista emRecursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com


Mais de Wilson Carlos Fuá