O Cio das cadelas e curiosidades

 

Muitos proprietários de cães fêmeas desconhecem as fases pelas quais seu bichino de estimação passará até a fase adulta.

O cio, período marcado a partir de aproxmadamente 10 meses é um desses períodos em que muitos proprietários não sabem como funciona nas cadelas e por muitas vezes são tomados de surpresas e susto com o episódio.

O primeiro cio é o período em que a cadela deixa de ser filhote e passa a fase adulta que ocorre por volta mais ou menos de 10 meses de idade.

É uma alteração física onde ocorre inchaço da vulva e sangramento por um período aproximado de 15 dias com intervalo de 6 em 6 meses, com alterações psicológicas anes e depois desse período. Também pode ocorrer depressão, anorexia (falta de apetite no animal), deixando o dono preocupado acreditando que sua cadelinha pode ter alguma enfermidade.

Também tem o 'cio seco' ou 'cio silencioso' em que a fêmea não aparenta nenhum sintoma de cio, somente o cachorro macho percebe pelo cheio dos feromônios, contudo a prenhez acontece normalmente, deixando seus donos surpresos.

Portanto o mais indicado é para cadelas com cio sintomático que sejam separadas dos machos nesse período para evitar a prenhez ou as que tem cio seco, o ideal é a castração. O que não é recomendado fazer é ficar aplicando anticoncepcional injetável nas cadelas, que é muito comum por ser oferecido pelo mercado.

Parece ser um método simples e mais econômico, poréma incidência de tumores mamários em cadelas que usam esse método injetável é de 100%., ou seja, o barato de hoje pode custar a vida do seu animal ou ainda no futuro o sofrimento do bichinho para tratar com quimioterapia esse tumor.

Então se você tem a intenção de criar um casal de bichinhos de estimação escolha de preferência da mesma raça, mas de ninhada diferente por conta da genética. Uma dica é que o macho seja menor para facilitar o parto para a cadela e para ela não precisar passar por cesariana. Caso o bicinho seja só um ou para sua companhia, o ideal é castrar evitando doenças futuras e filhotes indesejáveis. O controle de natalidade cabe ao ser humano, portanto, converse com o veterinário de sua confiança e veja a melhor opção para esse cachorrinho que é um companheiro como nenhum outro e ainda continua sendo o melhor amigo do homem.

 

Patrícia Ferrer é médica veterinária CRMV – MT 4209 do Pet Park