Casa da vergonha (Câmara Federal)

A pecha "Casa dos Horrores" atribuída, a nossa egressa Casa de Leis, Câmara Municipal de Cuiabá, vem ganhando novos adeptos de maior peso e consistência, entre as quais aparece o Senado Federal, Câmara alta do Congresso Nacional fica ao lado da Câmara dos Deputados, que faz parte do Poder Legislativo. Na última quarta-feira 25 de outubro, foi levado a Câmara Federal, para que fosse colocada em segunda votação, a denúnciaapresentada pela PGR (Procuradoria Geral da República) contra o presidente Michel Temer (PMDB), o mesmo, foi denunciado pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por obstrução da Justiça e organização criminosa, além de dois ministros peemedebistas de seu governo: Moreira Franco, da Secretária-Geral da Presidência e Elizeu Padilha, da Casa Civil, ambos por organização criminosa. Os nossos representantes Federais, não autorizaram que o STF (Supremo Tribunal Federal) abrisse inquérito par investigar os citados. Por um placar apertado, porém sabido por todos, placar final, ficou assim: 251 votos favoráveis em arquivar a denúncia, 233 contrário, duas abstenções e 25 ausências.

Essas votações já estão virando piada de mau gosto, tendo em vista, a dinâmica das mesmas, principalmente pela utilização exacerbada do poder de barganha e prestigio atribuídos ao presidente Michel Temer (PMDB), com a qual consegue cooptar deputados através de emendas parlamentares, cargos e dando prestigio a alguns, objetivando arquivar a denúncia contra ele, e seus ministros.

A farra com dinheiro público em nosso país continua em alta, nunca se gastou tanto dinheiro para que um presidente se mantivesse no poder, e o que é melhor se livrasse da cadeia.

Para manter-se no poder, Michel Temer (PMDB) gastou em verbas públicas, a bagatela de R$ 32 bilhões, para cooptar deputados, de maneira a votar pelo arquivamento da segunda denúncia contra si; e o que é pior, faz um pronunciamento nas redes sociais no qual diz "a verdade venceu" eu diria "o dinheiro venceu".

A bancada de Mato Grosso, não poderia votar de forma diferente, pois o dito popular nos leva a isso, ou seja, "quem sai aos seus não degenera", em outras palavras, sete dos nossos deputados federais, votaram objetivando livrar Temer da cassação são eles: Adilton Sachetti (PSB), Carlos Bezerra (PMDB), Ezequiel Fonseca (PP), Fabio Garcia (PSB), Nilson Leitão (PSDB), Rogério Silva (PMDB), e Victório Galli (PSC), todos esses senhores votaram contra a autorização para o STF processar Temer, apenas Ságuas Moraes (PT) foi favorável.

Pare o mundo, quero descer!!!!!!!!!!!!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo (liciomalheiros@yahoo.com.br)