Pingo no i » Disputa pelo poder em 2018 em Mato Grosso promete ser acirrada em com jogo rasteiro

Disputa pelo poder em 2018 em Mato Grosso promete ser acirrada em com jogo rasteiro

A eleição para o governo do Estado será apenas em outubro de 2018, mas as cartas começam a ser colocadas na mesa. Quem antes era amigo passa a ser transformar em inimigo e o jogo rasteiro já é percebido nos bastidores, onde se for possível puxar o tapete de pretensos candidatos que se puxe.
 

O governador Pedro Taques (PSDB) vem enfrentando uma crise em sua administração com constante atraso no pagamento a fornecedores, reclamações dos servidores sem aumento salarial, perdas de algumas conquistas e preocupações no interior com a demora na liberação de recursos. Mas, ele tenta se recuperar. Fez mudanças profundas em seu secretariado, deixando de lado a antiga filosofia de que técnicos são mais importantes que políticos em cargos chaves. Mudou a tática ao ver seu governo enfraquecido junto a população e aposta em políticos que estão agora assumindo cargos chaves. Espera que, com isso, possa alavancar nas pesquisas e se consolidar para a reeleição.
 

Entretanto, na disputa para o poder, ele não terá refresco. A oposição, principalmente o PMDB, que hoje em Emanuel Pinheiro como prefeito de Cuiabá vai jogar forte no ataque contra o governador, que nesta sua gestão não poupa reclamações contra seu antecessor, hoje morador de um cadeia em Cuiabá. Será o troco, com certeza.
 

Enquanto isso Taques afaga Mauro Mendes (PSB), aliado, que pode pular de lado. Grande parte de seus secretários estão sendo alojados em cargos no Paiaguas.
 

Alias, os aliados governador não querem entregar o poder, conquistado a duras penas e já miram em adversários fortes. Comemoram o fato do senador e ministro Blairo Maggi (PP), forte candidato a reassumir o governo estar envolvido em falcatruas na compra de uma cadeira no Tribunal de Contas para o ex-deputado Sérgio Ricardo, por R$ 4 milhões.
 

Muita água ainda vai rolar neste caminho até outubro de 2018. Até lá, denúncias, acertos, convites, apoios serão disputados não por metro quadrado, mas por centímetros entre os postulantes. Resta saber quem terá mais força para remar contra as correntezas.
 

COMENTÁRIOS