SUBVENÇÃO

Governo Federal vai equalizar os preços de comercialização de milho

As equalizações serão por meio de leilões públicos

Da redação | 20/04/2017 15:47:33

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) informa aos produtores rurais que foi publicada no Diário Oficial da União do dia 19 de abril a Portaria Interministerial n° 800 que estabelece os parâmetros de concessão e subvenção econômica na forma de equalização de preços para a comercialização de milho em grãos das safras 2016/17 e 2017.

As equalizações serão por meio de leilões públicos que serão conduzidos pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e devem ser utilizados como ferramenta o Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), o Prêmio para Escoamento de Produto (Pep) e a compra de opções de venda.

De acordo com a portaria, o volume de recursos disponibilizado será de até R$ 500 milhões, limitado ao orçamento das Operações Oficiais de Crédito (OOC). A garantia de preço ao produtor rural será por meio da comprovação da venda do seu produto por valor não inferior à diferença entre o preço mínimo vigente e o prêmio arrematado no Pepro.

Na avaliação do diretor de Relações Institucionais da Famato José Luiz Fidelis a equalização de preço é importante para o produtor rural, uma vez que a diferença vai garantir parte dos custos de produção. “Essa atuação do governo é muito importante para que os produtores consigam pelo menos receber o preço mínimo e garantir uma parte dos seus custos de produção, já que o preço que está sendo negociado nesse momento está abaixo do preço mínimo e não está cobrindo o custo de produção, deixando os produtores no prejuízo. A equalização não melhora a situação dos produtores como um todo, porém auxilia aqueles que ainda não têm produção para ser comercializada e vão utilizar esse prêmio como forma de diminuir os prejuízos dessa safra depois de um custo de produção elevado e preço de venda tão baixo”, apontou Fidelis.

Fonte: Assessoria

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News